A VISITA (2015)


Com um começo de carreira bem sucedida, M. Night Shyamalan foi declinando em suas produções com o tempo, até que chega uma hora que todo mundo quer descer a lenha em qualquer trabalho do diretor. Mesmo sendo fã dele, reconheço que muitas de suas obras tentaram, mas falharam. Vale ressaltar que algumas são boas, mas de acordo com a crítica e o público geral, parece que tudo deve e tem que ser superior ao O Sexto Sentido, mas aí meu amigo, vai ser algo bem difícil, porém, não é impossível por que isso pode acontecer um dia. Mas, vamos parar de encher o saco e limpar os olhos para enxergar melhor o esforço do cineasta.

Como todos sabem, alguns de seus filmes recentes foram decepcionantes, mas quando o cineasta lançou o filme A Visita em 2015, podemos dizer que Shyamalan é um cara que tenta trabalhar da melhor forma possível para agradar a galera, os chatos que critica o trabalho dos outros. E esse filme foi uma espécie de levantamento de suas obras. Há, entretanto, opiniões mistas a respeito desse filme (era de se esperar que os chatos de plantão não queiram perder uma oportunidade para descer a lenha).


Pois bem, A Visita título original The Visit é um novo estilo que Shyamalan apostou, o Found Footage, que já estava fazendo muito sucesso no universo dos filmes de terror. E com esse método, o trabalho do cineasta indiano foi muito bem colocado, dentro de sua premissa, que embora seja previsível, pois não há nada de surpreendente, é um filme que prende a atenção e deixa o espectador com um nó entalado na garganta, se perguntando o tempo todo: o que diabos está acontecendo aqui?

A história desse filme se centra em dois irmãos, Rebecca (Olivia DeJonge) uma adolescente que sonha em ser uma cineasta, e que inclusive, filma tudo ao seu redor e é através da câmera dela que iremos acompanhar o filme inteiro; e Tyler (Ed Oxenbould) um menino que canta rap. Ambos são mandados por sua mãe para a casa dos avós, a quem eles nunca conheceram, e que ficava em uma casa de campo. Chegando lá, as crianças são recebidas pelos avós que os acolhem em sua casa. A estada deles na casa seria de uma semana, mas o que parecia ser um passeio divertido se torna um pesadelo, quando eles percebem que há algo errado em seus avós.


O ponto de partida para toda a bizarrice vista nesse filme é na regra estabelecida pelos velhos, que proíbe os netos de saírem do quarto depois das 21h30 e de entrarem no porão. E todas as noites após esse horário, Becca e Tyler começam a ouvir barulhos no lado de fora do quarto, e ao checarem sempre viam a avó (Deanna Dunagan) agindo de forma estranha: ela corre pela casa, engatinha no chão de forma sinistra, arranha as paredes, em alguns casos anda completamente nua pela casa. Isso começa a criar medo nas crianças, que a princípio tentam acreditar que é apenas o fato deles estarem velhos. Mas, aos poucos eles vão perceber que não é simplesmente isso, há algo extremamente perturbador em seus avós.

Algumas cenas são bem assustadoras, mas não ao ponto de se considerar um terror autêntico. A Visita constrói elementos de tensão e desespero, diante de uma situação estranha e amedrontadora, que faz com que o casal de irmãos questione os seus avós. O filme possui uma revelação lá no final, mas essa revelação é altamente previsível que já no começo de toda aquela bizarrice, já podemos prever o que realmente aconteceu. Embora o filme deixe algumas lacunas em branco, e isso serviu mais ainda para prender o espectador na história. Sim, Shyamalan depois de várias produções fracassadas, conseguiu se sobressair nessa.


É interessante que bem no meio de cenas assustadoras, A Visita contém algumas pitadas de humor que servem para dar um toque contrário e aliviar os espectadores mais medrosos. Mas, como de costume, os personagens mesmo assustados, querem ver as cenas macabras da velha. “Eu vou abrir a porta. Eu vou abrir...” A atriz Deanna Dunagan que interpreta a velha maluca, consegue criar uma personagem que foi capaz até mesmo de me assustar, e olha que isso é raro de acontecer! Mas, juro que se eu estivesse no filme e essa velha viesse correndo em minha direção, eu dava uma "voadora" nela... (risos) estou brincando!

Alguns criticaram o fato do filme não explicar muita coisa sobre o casal de velhos, mas ele deixa algumas informações como fotos e pessoas que vão até a casa procurar os avós de Becca e Tyler. E falando nos dois protagonistas e atores mirins, todos eles conseguem se sair bem com seus papéis, e em vista disso, é o elenco em si que consegue fazer o filme ficar bom e interessante. Mesmo com alguns furos, como a conexão com internet que antes não tinha e depois já tinha e o desfecho que terminou muito rápido, sem dar a chance de algumas explicações, A Visita é um bom filme de terror do estilo Found Footage, embora não seja uma grande obra do gênero. 

NOTA: 7/10

Veja o trailer no vídeo abaixo:

Comentários

  1. Gostei. É um bom filme suspense.

    O curioso é que mesmo com a câmera aparentemente na mão, não percebemos ela balançar, como é comum nos filmes do gênero.

    Abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário