segunda-feira, 23 de abril de 2018

NOA NOITE, MAMÃE


Boa Noite, Mamãe título original Ich seh, Ich seh, é um filme austríaco de terror psicológico lançado no ano de 2014. Dirigido pela dupla Veronika Franz e Severin Fiala, e estrelado por Susanne Wuest, Elias Schwarz e Lukas Schwarz. Esse filme é algo que os fãs de terror procuram e muito. Seu conteúdo é muito diferente dos filmes mais recentes, pois além de ser inovador, o que é algo bem raro, é também um filme que deixa o espectador perturbado e intrigado com a violência vista nele. O filme chegou a ser escolhido para representar a Áustria na competição do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, mas acabou não sendo indicado.

Sinopse: Após ficar afastada alguns dias, por conta de cirurgias no rosto devido a um acidente, a mãe de dois garotos gêmeos volta para casa. Entretanto, seus filhos não acreditam que a mulher com o rosto coberto seja realmente sua mãe. A partir daí, nada mais será como antes.

ATENÇÃO! Esse texto contém alguns spoilers.


Quem assiste pela primeira vez, acredita que irá se tratar apenas de um drama, pois suas cenas iniciais parecem que irá culminar nisso. O filme começa com os dois garotos brincando no milharal e depois em um lago. O filme faz questão de mostrar o ambiente ao redor, vemos que a casa deles fica em um lugar bastante isolado, cheio de árvores e plantações ao redor dela, sendo que a cidade mais próxima fica a uma boa distância dali. Quando a mãe dos garotos retorna, ela a princípio parece ser a mesma para eles, embora seu rosto coberto seja um pouco assustador. Nesse meio tempo, não acontece quase nada, exceto os diálogos e brincadeiras entre eles. Porém, há um detalhe curioso aqui: a mãe só dar atenção a um dos garotos, o Elias, enquanto o outro, o Lukas é completamente ignorado.

Quando a mãe começa a exigir algumas regras, sendo até mesmo rude com seus filhos. Estes, por sua vez, passam a desconfiar dela, pois sabem que sua mãe jamais iria trata-los assim. Essa desconfiança vai ganhando força, e ela é articulada especialmente por Lukas, o garoto ignorado pela mãe. Aos poucos o que parecia ser um drama, começa a ganhar um clima de tensão. Há cenas em que a mãe bate em Elias, e sua reação toda vez que ele fala no Lukas e questiona se ela é a sua mãe, a faz perder o controle.


Os dois garotos começam a sentir um desejo de vingança, pois estão convencidos de que aquela mulher é uma impostora, e eles querem saber a todo custo onde sua verdadeira mãe está. Antes disso, a mãe tira as faixas do rosto e tenta fazer as pazes com Elias, mas ele e Lukas fogem e vão pedir ajuda em uma cidade ali próxima. No entanto, eles são pegos por um policial que os leva de volta para casa, e nessa cena a mãe fala para o policial sobre um acidente.

Esse filme quando chega ao seu clímax passa a nos dar uma visão extremamente perturbadora a respeito das crianças. Pois estas chegam ao ponto de prender sua mãe na cama, amarrando suas mãos e pés enquanto dorme, para depois tortura-la na tentativa de fazê-la dizer onde está a mãe deles. As cenas que se seguem a partir daí são chocantes e fortes! Os garotos tem um sangue frio de impressionar, eles queimam o rosto dela com uma lupa refletindo os raios de sol, a queimadura chega a abrir uma ferida em seu rosto que havia passado por cirurgia recentemente.


E não para por aí, o sofrimento da mãe atinge um grau elevadíssimo! Ela tem a boca colada para não gritar, e quando Elias tenta abri-la com uma tesoura, e ele acaba cortando os lábios dela que chega a jorrar sangue. As cenas são chocantes e perturbadoras! São fortes o bastante para deixar o espectador aflito, mesmo aqueles que já são acostumados com filmes do tipo, e quem é que causa isso tudo? Os garotos. Quem iria imaginar que crianças pudessem fazer algo assim? E toda aquela premissa da mãe ser a vilã, devido ao seu comportamento agressivo vai por água a baixo e os garotos passam a ser vistos como os vilões. Mas, ainda assim surge a pergunta: ela é mesmo a mãe deles ou é impostora?

Quando chega ao desfecho vem uma revelação que para alguns pode ser surpreendente. Mas, para outros (incluindo eu) foi muito previsível, pois durante todo o filme pistas são expostas de forma muito clara que apenas um espectador desatento não irá perceber e prever toda a situação logo no começo. O ponto fraco do filme é justamente o isolamento daquela família que traz consigo algumas sequelas, as quais precisariam do apoio de parentes e amigos. Mas, em contrapartida, o filme cumpre o prometido e a tensão não diminui a cada minuto. E como se trata de um filme perturbador, não irá agradar qualquer um, portanto, é bom estar ciente de sua premissa antes de assistir. 

NOTA: 7,7/10

Veja o trailer no vídeo abaixo:


3 comentários:

  1. esse filme é muito impressionante e surpreendente. essas crianças estão abandonadas a própria sorte. mesmo que seja a mãe deles, ela está distante. a falta de um adulto, de limites, vai transformando esses meninos em verdadeiros monstrinhos. aqui está o meu post do filme http://mataharie007.blogspot.com.br/2016/12/boa-noite-mamae.html

    ResponderExcluir
  2. As cenas de tortura são de causar agonia.

    ResponderExcluir
  3. Filme muito chato. Só desenrola no terceiro ato.

    ResponderExcluir

Fiquem à vontade para comentar, mas por favor, nada de palavrões, insultos ou qualquer outra coisa que possa ofender o autor do blog e a terceiros. Seria interessante, porém, não obrigatório, que usuários anônimos se identificassem. Bons comentários!