FALSA LOURA


A realidade do cinema brasileiro tem sido muito triste especialmente pela falta de publicidade de suas obras. Não entra nessa questão os filmes (em sua maioria comédias pastelões) bancadas pela Globo Filmes, já que essa indústria possui uma grande vantagem em divulgar seus filmes por todo o país sem muito esforço, já que pertencem ao maior conglomerado de mídia da América Latina. O que eu quero chamar atenção é para o cinema brasileiro independente, e quando bancados, são feitos por empresas não especialistas no ramo que o ajudam na distribuição. O cinema nacional possui uma grande variedade de filmes independentes que muitas pessoas sequer ouviram falar. 

Vamos falar sobre um desses filmes, que foi escrito e dirigido pelo já falecido, porém, um brilhante cineasta brasileiro Carlos Reichebanch, na verdade foi o último filme que ele dirigiu chamado Falsa Loura, lançado em 2007 e estrelado por Rosanne Mulholland. É um drama que considero ser muito mal compreendido por algumas pessoas, apesar de eu não considera-lo um grande feito do nosso cinema, contudo, recomendo que deem uma chance a ele, por que aqui há uma das melhores interpretações de Rosanne Mulholland, porém, em termos de roteiro, o filme não é muito extraordinário, já que carrega uma série de buracos e subtramas sem maiores explicações.


O filme conta sobre Silmara (Rosanne Mulholland), uma bela jovem que trabalha como operária em uma fábrica e que sustenta o pai, Antero (João Bourbonnais), um ex-presidiário que tem o rosto completamente deformado. É ela quem está no meio de um relacionamento conturbado entre o pai e o irmão Tê (Léo Áquila), um cabelereiro e homossexual assumido. Silmara é dona de uma beleza exuberante, e para fugir de sua rotina simples, ela e suas amigas se encontram para se divertir no Clube Alvorada, onde ela se envolve com o vocalista de uma banda popular (Cauã Reymond), e posteriormente ela se envolve com outro ídolo, um cantor romântico chamado Luís Ronaldo (Maurício Mattar).

Quem não está acostumado com o estilo do cinema brasileiro, não vai ter paciência para este filme. Porém, Falsa Loura é um ótimo exemplar de que uma história simples possa se tornar base para inúmeras discussões e críticas sociais. Eu assisti esse filme umas três vezes para captar, mesmo que parcialmente, a sua mensagem, mas devo afirmar que houve muita coisa que não me agradou, principalmente pela falta de desenvolvimento de alguns personagens secundários. Mas, quando se trata de nudez, não há o que reclamar, alguns podem achar isso muito gratuito, mas é inegável a beleza das cenas, já que a atriz principal é lindíssima! 


É claro que, a protagonista Silmara é o centro das atenções, não apenas por que a história é centrada nela, mas por que a beleza dessa mulher deixa qualquer marmanjo de queixo caído! A atriz Rosanne Mulholland, da qual eu admiro bastante, entrega uma personagem complexa, mas inteiramente determinada! Mesmo que a narrativa do filme a conduz para situações que questionam a forma que ela tem de enxergar as coisas, em especial no que se refere ao envolvimento romântico, Silmara conquista o público com seu jeito de falar e de se comportar, sem nem mesmo se importar com a vida simples que leva em sua cidadezinha paulista.

ATENÇÃO! PODE TER ALGUNS SPOILER A PARTIR DAQUI!

O filme possui subtramas interessantes. Silmara vive com o pai que teve problemas com a justiça e que foi largado pela família, com exceção da filha que trabalha duro para sustenta-lo, e ela faz isso sem reclamar de absolutamente nada! A relação de pai e filha é saudável, mesmo que o passado dele continue sendo motivo de preocupação para ela. E quando ele arruma um trabalho com um importante, porém, misterioso advogado, Reichebanch não se preocupa em revelar o que ele exatamente faz, apenas deixa um clima de mistério em vista da desconfiança de Silmara, esse é um dos erros do filme: a falta de exploração quanto ao pai de Silmara. No começo do filme Silmara se vê obrigada a ajudar uma colega de trabalho, a desajeitada Briduxa (Djin Sganzerla) a se arrumar adequadamente, já que a jovem também é bonita, porém, precisaria se vestir melhor para parecer uma pessoa tão atraente quanto Silmara. Os principais momentos do inicio, se dá nessa jornada de Silmara e Briduxa antes de um show com a banda popular conhecida como Bruno e os seus Andrés.

Durante a festa, o vocalista da banda se encanta com Silmara, que nem mesmo mexeu um dedo para atraí-lo, sua exuberante beleza foi o suficiente para atrair o cantor. Os dois se envolvem, mas Silmara percebe que o galã tão cobiçado pelas mulheres não passa de um idiota que não está nem aí para ela, até mesmo debochou do pai da jovem devido a sua deformidade. O interessante é que Silmara não estava iludida com o cantor, apesar de não resistir aos caprichos dele, afinal, ela é uma grande fã da banda. No entanto, Silmara não esquece que tem uma vida e que tem responsabilidades, especialmente quando se trata de seu pai, a quem ela claramente ama. O forte do filme é justamente sua protagonista, uma personagem forte e determinada! Cheia de responsabilidades e não é alguém com más intenções, apesar de não ter papas na língua, há momentos em que ela fala coisas que podem machucar outras pessoas.


A mensagem do filme é uma crítica social referente à vida simples das pessoas do interior, que almejam uma ascensão social. No filme, as amigas de Silmara veem no envolvimento dela com o cantor Bruno uma chance de serem reconhecidas, mas isso não passava de uma ilusão, e o pior é que Silmara não dá a mínima do quanto ela notou na personalidade incompreensível e medíocre do cara, ao contrário disso, ela prefere exaltá-lo nas frentes das amigas para não parecer que tudo o que ela passou foi uma experiência angustiante, apesar de prazerosa.

Agora o arco sobre o personagem do ator Maurício Mattar foi um tanto estranha, sendo ele o intérprete de um cantor do qual Silmara ficava enlouquecida só de ouvir a voz, ela é contratada por ele para passar um fim de semana em um sítio a fim de executar um trabalho particular. O que ela iria fazer? Até a chegada dela no local não sabemos. Sabemos que Ronaldo (o nome do cantor) tem um filho que também estava na casa e foi ele quem recebeu Silmara. Durante uma dança na beira da piscina, é possível ver Ronaldo cochichando alguma coisa no ouvido da moça, depois disso ela se direciona para o filho dele e senta ao seu lado. Sacou o que ela tinha que fazer? Isso mesmo, o trabalho dela era seduzir o garoto. O que me chateou nessa altura foi como que Silmara topou esse tipo de trabalho, sendo usada para satisfazer o gosto de outras pessoas? Talvez por Ronaldo ser um ídolo dela, tem sido um dos motivos que ela teve para não desistir. Porém, o roteiro peca por não esclarecer esses momentos finais, deixando a história do filme muito enxuta.


Depois de uma longa relação sexual entre Silmara e Ronaldo, ele cochicha novamente com ela. Depois ela aparece completamente nua no quarto do filho, e o garoto estava deitado na cama. Ao se aproximar, Silmara consegue convence-lo para fazer companhia ao garoto, daí apagam-se as luzes e só vemos no dia seguinte, com Silmara acordando sozinha no quarto, percebendo que Ronaldo e seu filho foram embora, mas recebe um bom pagamento pelo seu serviço, e o filme termina assim sem mais nem menos. Não consegui achar uma explicação razoável para esse final, apenas entendi que Silmara foi novamente usada.

A cena em que ela aparece nua no quarto do garoto, causou uma enorme polêmica após a atriz Rosanne Mulholland interpretar a professora Helena da novela infantil Carrossel. O que foi polêmico ali? Ela seduzir uma criança, e depois começar a trabalhar com o público infantil. Embora, eu particularmente ache essa polêmica uma tremenda bobagem, por que a Rosanne é uma atriz, ela pode interpretar qualquer papel, e nenhuma personagem que ela encarne irá interferir na sua vida pessoal ou em trabalhos diferentes. Contudo, foi essa cena de nudez que tornou Falsa Loura um filme mais conhecido, eu mesmo só conheci esse filme por conta dessa polêmica, visto que eu acompanhei o trabalho de Rosanne na novela infantil. Mas, é isso, Falsa Loura é um bom filme, o que faltou foram esclarecimentos sobre determinadas situações, porém, vale a pena a conferida por conta das atuações, não só de Rosanne, como também os demais do elenco. 

NOTA: 5,5/10

Veja o trailer no vídeo abaixo:  

Comentários

  1. eu gosto muito desse filme. acompanhei todas as matérias desde a escolha do elenco. reinchenbach é deus. esse filme incomoda profundamente pela atualidade. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de atual, é um filme que contém erros e acertos. Mas, o destaque sempre vai ser a atuação da Rosanne, é impossível não admirar a performance dela.

      Excluir
  2. a postagem sobre o filme está aqui https://mataharie007.blogspot.com/2009/11/falsa-loura.html

    ResponderExcluir
  3. Carlos Reichenbach deixou outras obras interessantes como "Garotas do ABC" e "Dois Córregos".

    Seu estilo lembra os filmes produzidos na Boca do Lixo, que por sinal foi onde ele começou a carreira nos anos setenta.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hugo, eu ainda preciso ver esses dois filmes que você citou, como outros do saudoso Carlão. Abraço!

      Excluir
  4. Olha a professora Helena safada!

    ResponderExcluir

Postar um comentário