CORRA!


Um dos melhores filmes lançados em 2017 foi Corra! Título original Get Out dirigido pelo então, estreante Jordan Peele. Estrelado por Daniel Kaluuya, Allison Williams, Bradley Whitford e Catherine Keener. Corra! venceu o Oscar de Melhor Roteiro Original e foi indicado nas categorias de Melhor Filme e Melhor Diretor. 

Sinopse: Agora que Chris e sua namorada, Rose, chegaram à fase de conhecer os pais no namoro, ela o convida para um fim de semana no interior com Missy e Dean. A princípio, Chris acha que o comportamento excessivamente agradável dos dois como tentativas nervosas de lidar com o relacionamento inter-racial da filha, mas, conforme o fim de semana avança, uma série de descobertas cada vez mais perturbadoras o leva a uma verdade que ele jamais poderia ter imaginado.


Apesar de algumas das revelações importantes do filme ser previsíveis, o rumo que a narrativa toma é o que eu particularmente considero ser o maior acerto do diretor Jordan Peele. Há mistério, há situações estranhas e comportamentos nada comuns. É interessante ver que o protagonista é bastante observador, e logo de cara se vê rodeado de pessoas que não parecem tão amigáveis, com exceção, é claro, de Rose, sua namorada.

Corra! é um suspense psicológico bastante eficiente e não demora muito para revelar algo espantoso, até mesmo para o espectador. As atuações são ótimas, com destaque para Daniel Kaluuya. O tema do racismo talvez tenha sido o principal motivo, do qual os críticos levaram o filme a sua aclamação, rendendo até mesmo a indicação ao Oscar de Melhor Filme, o que não é muito comum ocorrer com filmes de suspense e terror, salvo algumas exceções é claro, como por exemplo, a obra-prima chamada O Silêncio dos Inocentes.


Get Out é um grande exemplo de filme perturbador! Na primeira vez que o vi, eu imaginava que aquelas pessoas faziam parte de alguma seita, ou que talvez eles fossem transformados através de lavagem cerebral, em escravos sexuais dos brancos, conforme a teoria de Rod, o policial amigo de Chris. É interessante notar também, que em meio aos diálogos do filme, nos é deixado algumas pistas como, por exemplo, na cena da festa um dos convidados ao olhar para Chris diz: “os negros estão na moda.” Tal afirmação nos deixa com uma pulga atrás da orelha, pois ficamos apreensivos com tudo o que está acontecendo. Em outras palavras, nos colocamos na pele do protagonista.

Jordan Peele utilizou neste filme algo que necessita de discussão: a inferioridade de certas pessoas, e como técnicas tais como hipnose pode fazer com que se sinta inferior, se tornando então facilmente manipulável. E isso pode acontecer não só com os negros, mas com qualquer ser humano que é manipulado através de ideologias que o façam se sentir pequeno em relação aos outros. No caso do filme de Jordan Peele, o tema é centrado nos negros, já que por muito tempo, adotaram uma ideologia ridícula de que negros são inferiores aos brancos. Jordan Peele abordou isso de forma bastante interessante em um filme de suspense. 

NOTA: 8,5/10

Veja o trailer no vídeo abaixo: 

Comentários