PSICOSE (1998)


Psicose de 1960 é um dos maiores filmes já produzidos no cinema. Posso afirmar que seu enredo e desenvolvimento são perfeitos! Sendo assim, para um filme perfeito não era necessário que se fizesse uma refilmagem. Porém, a refilmagem acabou acontecendo e lançado em 1998. O remake de Psicose foi dirigido por Gus Van Sant e estrelado por Anne Heche, Vince Vaughn, Viggo Mortensen e Julianne Moore. 

A grande maioria dos remakes são inferiores ao original, neste caso não é exceção. Psicose de Gus Van copia praticamente tudo do clássico de Alfred Hitchcock: os mesmos diálogos, os mesmos cortes, as mesmas expressões faciais, os mesmo enquadramentos e até a trilha sonora não escapou. Tudo! Praticamente tudo foi copiado! É irônico pensar que as refilmagens costumam acrescentar algo em suas versões, dando assim um aspecto diferenciado como se estivesse deixando claro que o original é o original, o remake é o remake. E de fato, é assim que deveria ser com todas as tentativas de refilmagens.


Porém, essa versão de Psicose (deixando claro que não é o único que faz isso) não se esforçou em apresentar algo diferente, talvez até mesmo para deixar a trama mais interessante. Eles podiam fazer isso! Pareceu-me que a direção estava tão preguiçosa e preocupada em repetir tudo que fizeram no filme original, acreditando que assim teria o mesmo sucesso dele. Quanta ingenuidade!

Falando do elenco, eu odiei o novo Norman Bates! O ator Vince Vaughn que apesar de admirar alguns de seus trabalhos, neste filme está tão impotente com o personagem que chega a ser uma grande ofensa ao brilhante e saudoso Anthony Perkins (1932-1992). Anne Heche como Marion Crane está apenas preocupada em mostrar as mesmas expressões de Janet Leigh (1927-2004), e o seu desempenho ficou apenas no mediano. Os demais personagens não fazem muita diferença, afinal é tudo uma cópia!


Sinceramente, eu não gosto de fazer comparações ao original. Mas, infelizmente essa versão de Psicose não deixa alternativa. Mas o que dizer da cena do banheiro? A cena mais famosa do clássico? Nesta versão, você não vai acreditar: a gente consegue ver o rosto da pessoa que esfaqueia Marion Crane. Isso mesmo! Você saca na hora quem é que está ali. A iluminação atrapalha nessa cena, e a direção não se preocupou nas pessoas que não conhecem a trama se caso forem assistir ao remake ao invés do original. Sem dúvida que vai estragar a experiência de muitos, se é que já não estragou.

Mas, devido a tudo isso, eu ainda dou um pouco de crédito para o filme nas cenas de impacto, como por exemplo, o momento da morte do detetive, além de outros enquadramentos que me deram a impressão de estar assistindo ao filme de Hitchcock a cores. Felizmente, temos o filme original, pelo qual é indispensável que as pessoas assistam primeiro ao invés desse. 

NOTA: 4/10

Veja o trailer no vídeo abaixo: 

Comentários

  1. eu até que gostei. mas óbvio, anos luz do original. sim, falta sutilezas nesse. beijos, pedrita a postagem do meu está aqui https://mataharie007.blogspot.com/2011/11/psicose.html

    ResponderExcluir
  2. Sou totalmente contra a refilmagem de longas clássicos como este. Não tem porque refilmar uma obra como esta.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Hugo. Refilmagens são boas quando corrigem os defeitos do original. E claramente não é o caso de Psicose.

      Excluir

Postar um comentário