quinta-feira, 5 de abril de 2018

OS ESTRANHOS (2008)


O filme Os Estranhos do diretor Bryan Bertino a princípio parecia que ia mostrar um grande impacto com um grupo de assassinos mascarados que aterrorizam um casal, mas sua premissa não se saiu tão bem, mas mesmo assim a carnificina ganha um espaço bem amplo no decorrer da produção. Lançado em 2008, The Strangers (título original) é estrelado por Liv Tyler e Scott Speedman e segundo o diretor é baseado em fatos reais. O diretor chegou a afirmar que ele se inspirou para o filme nos assassinatos de 1969 cometidos pela família Manson.


Sinopse: quando o casal Kristen (Tyler) e James (Speedman) chegam à remota casa de veraneio dos pais de James, eles simplesmente querem descansar um pouco depois de uma noite difícil. Mas mal sabem eles que a noite está prestes a se tornar a pior de suas vidas quando três estranhos mascarados surgem em seu recanto aparentemente tranquilo. Esses misteriosos estranhos têm um prazer doentio em aterrorizar o jovem casal, o que leva Kristen e James ao limite da sobrevivência, onde apenas seus instintos mais brutais podem salvar suas vidas.

Para algumas pessoas a cena inicial entrega de mão beijada o filme todo, mas isso pode não ser evidente para alguns, para mim na primeira vez que vi não foi. Quando o filme mostra o casal protagonista, os vemos voltando para casa e logo após uma garota chega por lá perguntando sobre alguém que o casal não conhece, e após dispensá-la e James sair um pouco, a mesma garota volta fazendo a mesma pergunta. Kristen percebe que há alguma coisa errada e ao tentar usar o telefone, percebe que a linha foi cortada. Então começa o pesadelo.


A primeira metade contém uma boa dose de tensão e medo, que mesclando com o ambiente escuro, isolado, sem trilha sonora e cheio de portas, ajuda muito para manter o clima do filme lá no alto. O modo como a história caminha inicialmente pode realmente parecer que vai ser um filme de grande impacto, onde não apenas um, mas três assassinos mascarados aterrorizam a vida do casal. O problema maior é justamente aquilo que é bastante comum: a burrice dos personagens. Em algumas cenas, chega a nos causar revolta com tamanha estupidez, e que inclusive nos faz até mesmo torcer pela morte deles.

Ao que parecia que iria manter o nível até o fim se engana, pois da metade para o final, o filme vai declinando. É como se tivesse perdido o fôlego e que não dava mais para manter toda aquela tensão vista na primeira metade. Uma pena, pois o filme tinha potencial, só faltava aproveitar melhor. Entretanto, uma das características que mais gostei foi à maneira como foram mostrados os assassinos, em especial suas mascaras sinistras. Por que imagine ser atacado por um estranho usando mascara do tipo? Mesmo que não fosse baseado em fatos reais, o filme acertou nesse aspecto, pois abordar uma situação muito temida nos dias de hoje, é muito legal ver uma situação como essa nas telonas. E esse estilo foi bastante copiado em outras produções como Uma Noite de Crime, Faces do Medo e Você é o Próximo.



Sobre a questão do fato real na qual o filme tenta dar a entender que ocorreu em 2005, não há sequer nenhum registro de tal acontecimento. Tenho minhas dúvidas a respeito, embora eu costume levar em conta o que o diretor afirma ou tenta afirmar sobre os eventos do filme. E sobre o final de Os Estranhos é algo bem previsível, mas nada impactante quanto parecia no começo. A verdade é que se perdeu muito nessa parte, mas isso não o faz uma produção ruim e agrada sim os fãs de filmes de terror. 

NOTA: 6,5/10

Veja o trailer no vídeo abaixo: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fiquem à vontade para comentar, mas por favor, nada de palavrões, insultos ou qualquer outra coisa que possa ofender o autor do blog e a terceiros. Seria interessante, porém, não obrigatório, que usuários anônimos se identificassem. Bons comentários!