terça-feira, 13 de março de 2018

O Corpo (2012)

Se você deseja ver um suspense de qualidade e que não decepciona, a dica principal para esse tipo de assunto é o cinema espanhol. Sim, em questão de produzir filmes com tramas completamente imprevisíveis, os espanhóis colocam qualquer diretor de Hollywood no bolso, com exceção de Alfred Hitchcock, que é nada mais nada menos do que a inspiração para o cineasta Oriol Paulo. Após me surpreender com o filme Um Contratempo, do diretor Oriol Paulo, fui conferir outra das obras que ele dirigiu El Cuerpo, tradução literal O Corpo. Esse filme foi lançado em 2012, mas não veio para os cinemas brasileiros, nos restando apenas ao Netflix que foi responsável por lançar esse longa aqui no nosso país, e também o filme pode ser encontrado em alguns lugares pela internet.


El Cuerpo é um filme sensacional! Uma trama simples que é desenrolada com a brilhante e inteira participação do elenco principal. No elenco temos a participação de Belén Rueda, José Coronado, Hugo Silva e Aura Garrido. O enredo gira em torno da investigação de um inspetor de polícia (Coronado) sobre o misterioso desaparecimento do corpo de uma mulher (Rueda) do necrotério, em uma das suspeitas se encontra na pessoa de Ulloa (Silva) que é o viúvo da vítima.

Oriol Paulo prova de forma indiscutível o talento que possui em manipular o espectador. Em O Corpo, o cineasta consegue mesclar diversas situações que nos fazem suspeitar de algo, e à medida que o filme caminha diante de um clima sombrio e tenso, as perspectivas que criamos vão ganhando força, e no desfecho é que vem a pancada... O plot twist é FENOMENAL! Será que eu estou exagerando? Não, não. A narrativa do filme contribui para que cada peça se encaixe da forma mais perfeita que se possa imaginar! Cada personagem tem sua importância, cada ato ou fala é essencial para o desenrolar do filme. Porém, é impossível prever o desfecho, por que o roteiro foi muito bem trabalhado e teve muito cuidado para não deixar brechas esmagadoras.


Como dito, o diretor conduz o filme brincando com a mente do espectador, e este com certeza fica tentando desvendar mistérios, como por exemplo, será que a mulher do cara está viva e não morta? Será que ela descobriu a traição da parte dele e está querendo se vingar? Será que há algo estranho que Ulloa não consegue perceber, já que a cada minuto que passa o cerco sobre ele está se fechando? Será que a polícia tem alguma participação nisso tudo? Enfim, são diversas maneiras de tentar desvendar o enigma sobre o corpo desaparecido do necrotério. Mas, duvido muito que você consiga ou conseguiu adivinhar a real situação.

As atuações do filme são formidáveis! Cada um consegue se sair bem com seus papéis, sem exagerar ou fugir da lógica. Há também diversos flashbacks, que contribuem muito para o desenvolvimento de cada personagem e de cada situação. É intrigante também o fato de que o clima do filme não perde ritmo, mesmo quando aparenta ter alguma coisa sobrenatural envolvida. E sobre Ulloa que tenta recorrer a sua amante como ajuda para sair de uma enrascada, por que realmente ele matou a esposa para ficar com a amante Carla Miller (Aura Garrido), no entanto, há diversas situações que o colocam contra a parede, e teorias sobre a possível sobrevivência de sua esposa é algo que mais o atormenta.


Tirando o uso dos flashbacks, é interessante notar que a trama se desenvolve em apenas uma noite. E tudo que acontece dentro do necrotério, onde estão Ulloa e os policiais encarregados de investigar o caso do corpo desaparecido, é o que deixa o filme claustrofóbico e misterioso. Claro que o clima de suspense predomina a todo o momento e não nos deixa descansar por um minuto sequer. De fato, a narrativa é impecável e monta todas as peças para nos levar a um desfecho surpreendente e completamente imprevisível.

O Corpo é um filme que deve ser visto por todos aqueles que gostam de suspense. Particularmente, eu considero que deixar de assisti-lo seria um sacrilégio enorme para o gênero, mesmo por que o filme não deve nada para Hollywood, tem seus próprios méritos de um ótimo roteiro e um ótimo desenvolvimento e é uma produção para deixar qualquer outro cineasta com inveja, principalmente por conter uma história que prende a atenção do espectador de uma forma única e especial. E com isso em mente, eu respeito muito o diretor e roteirista Oriol Paulo, e fico muito ansioso para ver mais uma de suas façanhas. E por isso fica aqui a minha dica para o leitor que tiver a curiosidade de dar uma conferida em El Cuerpo, não precisa necessariamente gostar de suspense para se surpreender com a trama aqui retratada. Apenas mergulhe na história e sinta o clima derreter seus miolos!

Veja o trailer no vídeo abaixo: 

2 comentários:

  1. Além destes dois ótimos filmes que você citou, vale assistir ainda "Secuestro". Longa que tem apenas o roteiro de Oriol Paulo.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Secuestro" já está na minha lista. Provavelmente nessa semana que inicia, eu
      irei assistir.

      Excluir