HELLRAISER - RENASCIDO DO INFERNO

 


Hellraiser é um clássico oitentista do gênero terror que explora, entre outras coisas, o sadomasoquismo. O filme foi lançado em 1987 dirigido por Clive Barker e estrelado por Doug Bradley, Andrew Robinson, Sean Chapman, Ashley Laurence e Clare Higgnins. 

O filme começa contando o que aconteceu com Frank Cotton, que comprou uma antiga relíquia em forma de cubo, conhecida como “configuração do Lamento”. Segundo a lenda, este artefato é capaz de abrir uma passagem para um reino de prazer sensual, porém, em troca, o cubo exige a alma do usuário. Frank resolve o quebra-cabeça e entra em outra dimensão que é povoada pelos Cenobitas, que nada mais são do que os torturadores do inferno e que sentem muito prazer na dor. 

Os Cenobitas

Frank é capturado pelos Cenobitas e condenado a passar a eternidade provando a dor e o prazer. Algum tempo depois, o irmão de Frank, Larry, se muda para a casa, que estava abandonada pela família, junto com sua esposa Julia, que havia sido amante de Frank no passado. Larry acaba se ferindo com um prego, onde gotas do seu sangue caem no assoalho do sótão, e sem que eles percebam, é o lugar onde Frank invocou os Cenobitas anos antes. 

Frank com o rosto deformado

O sangue é filtrado pelas tábuas e daí surge Frank, com o corpo completamente deformado. Julia o encontra, e por ter sido seu amante, ela parece ainda nutrir sentimentos por ele e tenta ajuda-lo a se recuperar, e para isso, ele precisaria de mais e mais sangue. Porém, os Cenobitas vão perceber que Frank escapou deles e eles irão atrás até que ele seja novamente levado para experimentar torturas e muito sofrimento. 

Clare Higgnins interpretou Julia

Hellraiser se tornou uma franquia aclamada do gênero terror, não só pela interessante história, mas pelas cenas de gore fortíssimas! Confesso que embora tenha ouvido falar sobre desse clássico, só há poucos dias atrás é que fui realmente assistir na integra e é claro, irei conferir toda a franquia. 

NOTA: 7,5/10 

O filme está disponível no Prime Vídeo.

Comentários