domingo, 20 de junho de 2021

A VIAGEM DE CHIHIRO

 

A Viagem de Chihiro é um filme de animação japonês lançado em 2001, escrito e dirigido por Hayao Miyazaki. Esse filme é aclamado pela crítica internacional e venceu a categoria do Oscar de Melhor Animação, um marco histórico, pois nenhum filme de língua não inglesa havia vencido essa categoria antes. 

O filme conta as aventuras de uma menina chamada Chihiro, ela e seus pais são obrigados a se mudarem para outra cidade. Durante a mudança, seu pai decide tomar um atalho para ganhar tempo, porém acabam se perdendo e chegando em um edifício com um estranho túnel no centro. Ainda que Chihiro se negue a entrar, seus pais insistem em seguir o túnel. Do outro lado, descobrem um povoado aparentemente abandonado; a família opta por explorar o lugar e acabam encontrando um restaurante o qual decidem parar para comer. 

Chihiro deixa-os para continuar investigando. Quando começa a anoitecer um misterioso jovem chamado Haku aparece e ordena que Chihiro saia do lugar antes que anoiteça completamente. A menina corre em busca dos pais, enquanto pouco a pouco a cidade vai ganhando vida; os postes acendem e aparecem uma variedade de espíritos. Ao chegar no restaurante, Chihiro descobre que seus pais se tornaram enormes porcos. Aterrorizada, a jovem foge e começa a se dar conta que está ficando transparente. Haku, que aparece novamente, diz que para ela não desaparecer deve comer algo deste mundo e lhe oferece uma baga.

Depois disso, leva-a secretamente a uma casa de banhos termais em que deve aceitar um trabalho antes que possa ajuda-la a escapar. Assim, com a ajuda de vários amigos que fez ao longo da história, Chihiro inicia uma grande aventura para buscar uma forma de acabar com o feitiço que mantém a família dela em porcos e poder continuar sua vida livre. 

Apesar de não ser o meu favorito do Studio Ghlibi, A Viagem de Chihiro merece, sem sombra de dúvidas os elogios que recebeu desde o seu lançamento. E não apenas isso, pois acabou se tornando um dos maiores filmes de animação de todos os tempos. 

Com uma história simples, mas com um desdobrar incrivelmente lindo e brilhante, acompanhamos a jornada da medrosa Chihiro em um mundo fantástico do qual ela mesma não sabe como entrou. Espíritos e bruxaria podem soar assustadores apenas citando, mas nesse filme isso é retratado de uma outra forma, às vezes de forma inocente; em outras como algo sinistro, mas nada que deixe a garotinha protagonista amedrontada já que há uma forma de se livrar de qualquer mal e por fim, conseguir voltar pra casa e libertar seus pais. 

Entre muitas outras, A Viagem de Chihiro retrata em especial, o autoconhecimento, pois Chihiro está passando por mudanças: ela está entrando na pré-adolescência, e está mudando de cidade contra a sua vontade. Dessa forma, a garota precisa lidar com seus próprios medos e aprender a ser corajosa em situações difíceis. As descobertas de Chihiro fluem muito bem no decorrer do filme, e não me admira quando todos concordam que a estrutura narrativa não cansa e caminha perfeitamente, explorando os elementos necessários para que o filme cumpra seu propósito. 

É interessante notar que A Viagem de Chihiro nos lembra de outras histórias famosas, como por exemplo: Alice no País das Maravilhas e O Mágico de Oz. 

NOTA: 9/10

O filme está disponível na Netflix.

2 comentários:

  1. esse filme é maravilhoso! obra de arte. que bom q falou dele. beijos, pedrita
    comentei aqui https://mataharie007.blogspot.com/2007/09/viagem-de-chiriro.html

    ResponderExcluir

Fiquem à vontade para comentar, mas por favor, nada de palavrões, insultos ou qualquer outra coisa que possa ofender o autor do blog e a terceiros. Seria interessante, porém, não obrigatório, que usuários anônimos se identificassem. Bons comentários!