segunda-feira, 30 de novembro de 2020

NECROTÉRIO (2019)

 

Vamos falar de um filme do cinema paraguaio? Pois bem, é um cinema muito pouco conhecido, e não sabemos bem como é o estilo deles. Para obter uma visão mais ampla, preciso ver mais filmes oriundos de lá. Vamos comentar o filme Morgue, conhecido também como Necrotério, dirigido por Hugo Cardozo, lançado em 2019.  
No seu primeiro dia de trabalho como segurança, Diego Martinez acaba pegando o turno noturno do hospital regional. Em sua ronda, ele nota que os corredores vazios podem ser sinistros à noite, até que percebe que está trancado dentro do necrotério.  


Esse é o primeiro filme paraguaio que assisto, e admito que embora sua abordagem seja clichê, o filme conseguiu me surpreender positivamente por dois grandes motivos: o primeiro, é a atmosfera densa e sombria no qual está instalado em toda a projeção do inicio ao fim, e segundo, pela reviravolta final que eu não cheguei a considerar, embora tenha sido bem óbvio. 

O filme rende alguns bons sustos e o diretor conduz a história com precisão, sem exigir demais, até por que o filme passa mais da sua metade dentro do necrotério com o protagonista presenciando momentos sinistros e aparições bizarras! 


O plot twist foi óbvio, porém, o filme consegue a façanha de dribla-lo diante de todos os acontecimentos sinistros que ocorrem no filme. Certeza que surpreendeu tanto o espectador quanto o protagonista. 

Enfim, recomendo esse filme. Como terror, ele cumpre sua proposta muito bem, embora não haja nada inovador. Mas, é um filme que merece ser conferido e por ser paraguaio, a gente dá mais ainda aquela moral.

NOTA: 7,8/10

4 comentários:

  1. Caramba, parabéns irmaos paraguaios!!!! Muito melhor do que essa mixordia de filmes brasilenhos.apesar de o assunto estar esgotado, mas gostei demais!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Confesso que não entendi bem o final. Quem era o cara que se senta no banco e que parecia ser um espírito?

    ResponderExcluir
  3. Quem era o cara que se senta no banco e que parecia ser um espírito?

    ResponderExcluir